26/06/2012

Do que eu realmente quero lembrar...*



         
          Gosto de lembrar do tempo em que eu era a preferida, mas que não tinha privilégio algum com isto.
          Eu lembro que tinha que dividir absolutamente tudo com a Mima, todos os meus brinquedos preferidos.
          Que me escondia no banco de trás do carro toda vez que chegava na encosta do morro e tinha que desembarcar.
lembro ... e toda vez era a mesma ladainha.
           Lembro que cada um tinha um pé preferido, o direito era do vô e o esquerdo era da vó, e o pé do vô era sempre o que mais sofria com cócegas. (era tão bom!)
         Gosto de lembrar da música que meus pais ouviam depois do toque do despertador, era sempre a mesma.
          Vale a pena lembrar também de todas as brigas que tive com meus irmãos, e de todos os pedidos de desculpa, e dos abraços e das gargalhadas depois de cada briga besta, de todas as vezes que tivemos que rezar um do lado do outro pedindo perdão pela briga.
vale a pena lembrar também que não gosto de despedidas.
vale lembrar também, que a maioria das minhas escolhas foram felizes, e que raramente houve arrependimento.
        Vale realmente a pena lembrar, que eu sinto falta daquele abraço com cheirinho de vó, do aroma da comida da mãe, dos passos arrastados do pai, das brigas dos irmãos.
        Realmente vale a pena cada sorriso que eu deixei lá, e que tenho a certeza que sempre que voltar, vou encontrar.
        Vale a pena lembrar, que eu optei ser eu mesma.
        Na essência, uma alma sonhadora, que quer, que deseja,  que anseia pela verdade pura e dita.        
       Que não quer nada além do brilho nos olhos todos os dias, a euforia de um sorriso, e a emoção de uma lágrima.
       Eu gosto de lembrar que optei ser eu mesma, na mais ousada lição de vida que tive, sair do meu casulo e aprender a voar.
       Vale mais ainda lembrar, que eu vivo cada minuto dedicando tudo aos meus eternos amores, aqueles com que tive que dividir meus brinquedos, com quem eu aprendi a rezar, com aquele que arrasta os pés para caminhar, com aquela que faz a melhor carne de panela do mundo, e para aquele que me guia de lá onde o amor é infinito e para aquela que roga por mim todos os dias.
        Gosto e quero lembrar todos os dias, que o amor que vai é o mesmo que vem, em quantidade, intensidade e veracidade.
E devo lembrar, que basta sentir.



Carinhosamente,

Créditos
Texto: Gisa Dias
Foto: Gisa dias

Uma pílula, Dr. !*


- Me diz o que você está sentido garota?

Estive pensando em tudo aquilo que me causa frio na barriga.
Ultimamente tenho sentido isto com muita frequência.

- Alguma coisa de errado comigo Dr?
- Fale mais...

Até o soar do sino na varanda tem me causado certo frisson...
Não sei ao certo a quem creditar esta sensação toda, não sei também se seria certo fazer isto, e se eu gostaria de fazer isto, mas alguém foi responsável pela mudança interna mais uma vez.
A vida é um ciclo constante, e eu sei que ainda sou amadora nela.
Dou muito muro em ponta de faca, caio e levanto constantemente, mas não consigo desistir.
Não consigo deixar de sentir aquela coisa boa que vem com o tilintar do sino da varanda.
Este som me remete a lembranças que talvez eu devesse banir da mente, me remete a momentos e frases, sentidos, abraços que eu deveria expurgar da memória, mas ao invés disso, o som me contagia e me nocauteia.
Mas não é o fim para mim ainda não!
No entanto...
É causador de um baque tão forte que nem sei descrever.
Sinto-me como se estivesse em outro mundo, como se nada ao meu redor tivesse maior importância naquele momento.
Não vejo nada, não ouço nada, não sinto nada além daquela sensação que não sei descrever.
Estaria eu, me dedicando á alguém?
Oque eu faço? Como faço?
Apenas sorrir, resolve?
Então, neste exato momento, de grande dúvida, sem grande resposta,  é que vejo que o sino para de tilintar e eu fico no vácuo do espaço sideral sem saber para que lado ir.
Flutuando, na minha completa imensidão.

Quero voltar para minha casa, voltar a sentir o vento na varanda e ouvir o sino soar, voltar para o meu mundo e não lembrar de nada, nada além daquilo que eu deva realmente lembrar.
- Será que o senhor pode me receitar alguma pílula para isto Dr.?


sinceramente, com carinho


Créditos
Texto: Gisa Dias
Foto: Gisa dias




18/06/2012

apenas silenciar.* arte de silenciar...


Com o tempo conhecemos pessoas que deixam marcas em nossas vidas. Não sabia que poderiam ser tão fortes, nem mesmo que essas marcas poderiam se ocorrer com um simples olhar.
Não sei o que acontece, a mente fala, mas o coração não obedece. O corpo padece e o que me sobra é a vontade de me calar. Calada fico, em um “extasy” absoluto, algo que somente os loucos poderiam entender. Sim, loucos eu digo! Loucos por acreditarem em amores impossíveis, causas insanáveis e terem ilusões tão profundas que em seu pensamento tornam-se realidade.
Isso pode até ser meio clichê mas se ao menos ele soubesse que em meus pensamentos não importam todas as circunstancias que existem contra nós. Se ao menos também ele notasse que por trás de toda essa seriedade, há alguém que não se importa se ele iria ou não ligar no outro dia, se um dia ele a chamaria de amor, ou que lhe ligasse todos os dias a noite desejando bons sonhos.
Definitivamente com essa situação descobri que não me importo com nada a não ser na vontade de o devorar.
Lamento falar, mas já te devorei várias vezes, todas as vezes em que me viu silenciar. E das tantas vezes que te devorei, foi sem vontade de te esquecer. Procurei te encontrar em pensamentos e não me apegar em ti, mas quando vejo que sinto sua falta, devoro meu coração. Devoro, para que o fruto do que nasceu em mim, saia!
Podem até me achar louca por querer tanto assim, mas os loucos acreditam em amores impossíveis, causas insanáveis, e tem ilusões tão profundas que não devem falar apenas silenciar.

O.o.r

Boa semana a todos...
:D


Créditos
Texto: Ohara Reis
Título: Gisa Dias
Foto: Gisa Dias


08/06/2012

Refletiu









Depois de muito tempo, ela provou o sabor da própria essência, não nela propriamente, mas refletida.
Bateu e valeu, não é assim que dizem?
Não é assim que as coisas funcionam?
Ela se abriu para o mais estranho dos  seres, que era absolutamente o seu reflexo.
Se sentido estranhamente feliz e confusa.
É..., porque nem tudo pode ser perfeito, e se não houver estranheza no início é porque não haverá meio nem fim.

Boa sexta feira galere!

 * a volta dos devaneios.