30/09/2012

É amor, próprio ou não?**


Como pode o amor próprio ficar debaixo da sola do sapato?
Você não tem amor próprio não?
Eu hein, desse mal não quero sofrer.
Prefiro me amar, e por você me apaixonar.
O sofrimento é menor.
Não que eu não esteja disposta a amar,  já amo, mas prefiro somente me apaixonar.

Doses lentas de amor ao longo do percurso, se for valer a pena, mas que fique bem claro, que eu me amo mais do que tudo,e por você não quero sofrer.
Não, não permito que me faças sofrer.
Permito que me adore, me anime, que se apaixone perdidamente por mim.
Não te farei sofrer, se preciso for, o máximo que irei fazer,  será te fazer me esquecer.
Adormeça pensando, e amanheça longe de mim.

Ah, como pode ser tão bobo e contraditório o coração?
Como pode a gente se entregar, assim sem noção?
Alguém sabe a explicação?
Só não venha me dizer que é, amor!





Créditos:
Texto: Gisa Dias
Foto:Gisa Dias - sala de espera Agência Bravo!POA

Nenhum comentário: