12/11/2012

Uma fantasia ou uma cortina?*


Então, estive pensando.
Como era boa a infância, tempo em que a gente se escondia atrás das cortinas e achava que ninguém nos via e que estávamos super bem escondidos!
Como era bom brincar de ficar criando fantasias, fantasiar que eramos heróis, princesas, não é mesmo?
Ah tantos personagens....
Muito fiz isto, e aposto que vocês também.
Mas o tempo passou, e eu deixe de ficar me escondendo atrás da cortina, e parei de fantasiar, de brincar.
Parei.
Hoje...
Parei para pensar.
Refleti muito.
Minto, muito também não, apenas observei ao meu redor... observo há algum tempo já.
Agora quero a liberdade para fazer um breve devaneio a respeito.
Quando a gente é criança esse tipo de brincadeira é super divertido e normal.
E quando é adulto?
Continua sendo normal?
Não né?!
Sim, pode ser que sim, tem gente que acha que sim.
Não o tempo todo, mas tem quem quer o tempo todo!
Tem gente que quer brincar o tempo todo, ser criança a vida toda.
Ai minha nossa!
Deixem -me explicar.
A diferença toda está em: Como pode haver pessoas com dificuldade, receio de se fantasiar mesmo depois de grande?
Se quando a gente era criança é tudo tão fácil?!
 Como pode ter gente mesmo grande continuar brincado de se esconder atrás da cortina?
Me deparei com uma situação em que vi adultos com brilho nos olhos como se fossem criança.
Alegres, emocionados dentro de suas fantasias, dentro do mundo da ilusão, da graça, do riso.
Vi gente grande dentro de fantasias de super heróis, de meninas frágeis, que são fortes, que matam um leão por dia, mas que souberam deixar rolar a graça de ser criança por uma noite.
Que graça, saber sair de casa super herói e volta como gente grande, voltar adulto.
Enquanto isso...
Também vejo,  gente achando que é criança se escondendo atrás de cortina diariamente, achando que nenhum adulto vai o encontrar ou perceber o que está fazendo.
Onde está a diferença mesmo?
Esta  na capacidade de agir e ser na hora certa.
Já aviso que qualquer semelhança é mera coincidência.
Também não quero ninguém brigando pelo copo de groselha.
E ninguém ficando chateado, nem chorando, nem emburrado.
Não. Nada disso.
Mas acalmem-se, nem tudo está perdido.
Sempre é tempo de tirar a fantasia.
Sempre é tempo de sair de trás da cortina e voltar a ser gente grande.
Então, meus caros e minhas caras.
Não sejam personagens e nem fiquem escondidos atrás da cortina a vida toda.
Assumam, que o tempo passa, que a gente cresce que reviver é muito bom, mas que ser, estar, e agir como gente grande é fundamental para sobreviver.


Tchau, fui colocar minha fantasia de CORDEIRINHO e voltar para minha realidade.
Por que brincar de esconde-esconde atrás da cortina, já perdeu a graça faz tempo para mim.

 
Me avisem quando estiver na hora de ir brinca, quero fazer de conta que sou adulta!



Nenhum comentário: