25/06/2013

A neblina da consciência...


Eu pareço parada no tempo.
Sabe quando o tempo fica estagnado, e a gente parece estar sob efeito de algum sonífero?
Por tempos venho tentando cortar este efeito.
Parece não ter fim.
 Fecho os olhos e não consigo imaginar algum lugar que possa me trazer mais tranquilidade que o morro da ventania.
Tento imaginar uma fuga.
Confusa, perco dentro de mim, e é cada vez mais difícil de encontrar, mesmo sabendo onde estou.
Tudo tão embaçado.
Tempo com neblina.
Frio, gelado, úmido.
Eu aprecio o inverno.
Chegado inverno, aquecerei minha alma sob o sol da consciência, enrolada no cobertor da vaidade, protegida pela sanidade mental que em tempos de guerra vale mais do que ouro.
Minha consciência sussurra estar tranquila, me abraça, gira, pula e afirma que a minha e somente a minha consciência é que importa, as demais, não são problema meu.

Não deixem suas roupas na rua, chove muito por aqui.















ps: os erros de português e concordância verbal estão abertos para correção.

03/06/2013

Meu Deus do Céu!*

 
Ser humano, o ser racional mais irracional que já conheci.
Isso só pode ser um dom.
Um dom maligno que nos foi dado, escondido dentro de nós, mas que infelizmente e facilmente localizamos.
 A gente adora desgraçar vidas, devastar a nossa e de quem vem pela frente... seja lá o que for e quiser,  largamos um tsunami de emoções e ações psicodélicas sem saber quem vamos atingir.
Meu Deus do Céu!
Não tem como tirar esse dom do ser humano agora não?
Possuímos uma capacidade infinita de transformar uma gota d'água em um oceano.
Pena ser água salgada.
Facilmente resolveríamos o problema da ... enfim
Voltando ao ser humano, que não é humano, que caminha como humano mas age feito animal, eu tenho medo.
Medo de mim mesma, de ti, dos outros, de todos nós. 
Animais humanos irracionais, pobres de espírito e ricos de ignorância.
 
Já não sei mais se estamos perdidos e é melhor assim, ou encontrar uma saída seria uma boa solução.
Já dizia Guimarães Rosa:
" Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens?"
 
Eu não sei, mas se alguém souber, não me conta por favor, já sei o suficiente para preferir os animais.
 
 








p.s.: a carapuça foi jogada, se te servir, leva, não custa nada.