06/03/2013

enfim, trinta.

 
Uma truculenta inocente.

Nem faziam idéia que ia ser forte como uma rocha e sensível como dente-de-leão.
De face rubra.
Com covinhas.
Habitante do mundo dos sonhos.
Olhos ávidos e brilhantes.
Pisando de mansinho.
Sempre amando mais, de mais.
Olhos grandes e boca pequena.
Nunca se viu no espelho?
Não teve tempo, nunca teve tempo. Sempre amanhã, ou depois.
Aproveitou.
Consumiu a vida em doses nada homeopáticas.
Deixando a todos de cabelos em pé sem dormir noites à fio.
Se apaixonou, e foi tão lindo.
Precisou de ombros amigos depois que se apaixonou.
Dos vinte em diante...
 Conheceu a outra face da paixão, a não correspondida.
Dançou, bebeu bons drinks.
Esperou amanhecer na rua.
Arrasou com muita gente e foi arrasada por outros tantos.
Sempre estendendo a mão e se doando até mesmo quando não tinha nada mais para dar, doar.
Ciumenta.
Possessiva.
Quanta vitalidade, quanta intimidade com a vida, quanta, quanta ânsia de viver.
 
Que pessoa é essa, que vem do lugar onde há flores no asfalto, que o vento faz a curva e o diabo perdeu as botas?
Essa guria, essa de vinte e poucos anos...
 
Foi dormir menina, para amanhecer mulher.
Enfim, nos trinta.
 
 
 
Até agora nada mudo. 
 
 

3 comentários:

Dea disse...

Bem vinda Gi rs
beijos

Junhiim Macedo disse...

Tem post novo lá no blog, olhá lá: www.junhiimce.com
Beijos, se for seguir avisa que sigo de volta.

Evelyn Oliveira disse...


Um ótimo final de semana pra ti, e mtos chocolates nessa Páscoa pq né... Nós merecemos!

Abraço.
Evelyn Oliveira

cupcakerock.blogspot.com
@evelyncmo