26/04/2013

Simples assim...*


 De cara eu vou te odiar.
E com todas as minhas forças, fortemente vou te detestar, como faço com todas as pessoas que conheço.
É mais forte do que eu.
Um vicio do meu inconsciente.
É como se eu tivesse que primeiramente odiar, para depois amar.
Foi e é assim com a maioria das pessoas.
Primeiro eu odeio, em seguida amo.
Não necessariamente você vai ficar sabendo que te odiei ou estou odiando.
Chego num ponto de nem mesmo conseguir ouvir a voz da pessoa.
Passo a ser indiferente em um nível insuportável.
Confesso, é um umbral.
É como se fosse uma provação, se você resistir esta fase de ódio, passa para a próxima fase.
Que é a fase do silêncio.
Aquela em que estaremos provavelmente no mesmo ambiente, eu sem ódio, você querendo conversar, e eu no meu silêncio absoluto.
Sim, porque eu acredito que bons amigos, bons companheiros, são aqueles que você pode ficar horas e horas um do lado do outro sem ter que trocar uma única palavra, pois o simples fato da companhia é o suficiente.
Se você resistir ao meu ódio mortal inicial, ao meu silêncio, provavelmente saberá conduzir bem uma amizade insana onde eu darei o meu melhor como amiga, te farei perder a noção com o riso, irei chorar horas e horas no teu ombro amigo. 
Saberá me aconselhar, e aguentará ouvir horas a fio, mas horas a fio mesmo meus lamentos, aconselhará sabia mente sobre minhas frustrações amorosas, e no fim irá me convidar para beber, ficar de porre, brigar comigo, me odiar, ficar em silêncio, e fortalecer a nossa amizade.
 Mas que fique bem claro, que se você resolver tirar o copo do drink das minhas mãos, vou te odiar, e mais espraguejar por horas a fio.

A partir de agora, já te odeio sem fim...
 



Nenhum comentário: